Aliados por uma causa
Get Adobe Flash player

Carta enviada ao Presidente da ANAC

Ilmo Presidente da ANAC
Marcelo Pacheco de Guaranys

Assunto : Ilmo Presidente da ANAC
Marcelo Pacheco de Guaranys

Assunto : Consulta Pública 19/2012 ANAC
Prezado Senhor,
Além de deficiente, presidente de associação brasileira da talidomida, ministrei atendimento a pax prioritário em diversas cias por 15 anos (Vasp, Transbrasil, Tam, Gol, Passaredo, Loyd, Brithish, INFRAERO, Air Canadá,). Participei da CORDE e Conselho deliberativo do CONADE /MS que trataram destas questões de pessoas com deficiência neste país.

…Muito me estarrece e estranha abrirem consulta pública a pedido de Representantes de cias internacionais JURCAIB.
Que estas queiram mudar as regras do jogo contidas da resolução 09 ANAC.
Minhas indignações:

1º NOSSA NOMENCLATURA É PESSOA COM DEFICIENCIA.
Nem PNE e nem PNAE.

2º restringir o direito de ir e vir nos artigos:

§ 1º Pode haver restrições aos serviços prestados quando não houver condições para garantir a saúde e a segurança do PNAE ou dos demais passageiros, com base nas condições previstas em atos normativos da ANAC, no manual geral de operações ou nas especificações operativas do operador aéreo. e ainda deixar a cargo do PILOTO
§ 2º O operador aéreo deve divulgar as condições gerais e restrições ao transporte do PNAE e de suas ajudas técnicas e equipamentos médicos.

Proibir que sejamos carregados como PREFERIMOS. proibindo que seja manualmente. a opção deve ser do cliente e em muito facilita e agiliza a incompetência para atendimento mecânico.
Ambulifts neste país ainda é moroso e até sermos atendidos, a empresa nos embarca após os demais passageiros. Deixando-nos absurdamente constrangidos.

Pior é não quererem treinar pessoal de bordo para auxilio de necessidades fisiológicas, exijindo que quem necessite esteja acompanhado?
Art. 27. O PNAE deve ser acompanhado sempre que:
I – viaje em maca ou incubadora;
II – não possa cumprir adequadamente as instruções de segurança de voo; ou
III – não possa atender às suas necessidades fisiológicas sem assistência.

Sr Marcelo,
uso pernas mecânicas e viajo só. Em situações emergenciais preciso de auxilio de comissários. Mas nunca tive nenhum problema, em terra ou ar. (QUANDO ESTÃO DEVIDAMENTE TREINADOS)
E isso é uma coisa que vinha ESTIMULANDO A SOLIDARIEDADE NO ATENDIMENTO

3º dar prioridade a outros passageiros que reservem assento prioridade.
assento prioridade este que ESTÃO PROXIMOS AS PORTAS PARA EVACUAÇÂO E PARA NOSSA SEGURANÇA, que nós batalhamos. Isso contraria a tudo que avançamos em segurança de vôo.
§ 1º Excetuam-se do previsto no caput as assistências previstas nos incisos I e II do art. 10.
§ 2º O disposto no caput não impede a cobrança:
I – pelos assentos adicionais necessários à acomodação

A localização dos assentos ficou extremamente CONFUSA, e eu posso fazer uma aula ao Sr explanando e demonstrando a importância de estarmos nos corredores próximos as 2 portas

Art. 23. O operador aéreo deve transportar gratuitamente a ajuda técnica empregada para a locomoção do PNAE, limitada a 1 (uma) peça:
Pessoas com cadeiras de rodas pagaram por levar sua cadeira de banho.
Isso é o mesmo que não deixar a pessoa levar sua escova de dentes!

Cadeiras de bordo, manuais de segurança em Braile e visão subnormal ???
Não vi nenhuma obrigatoriedade .

Já vi muito Cmte antes da Resolução 09 negar embarque de muitos com síndrome de down desacompanhados, por PURO PRECONCEITO. Que foram reacomodados em outras cias sem problemas.
Já vi terra pedir atestado para UMA Médica deficiente.
Já vi os maiores absurdos no trato dos deficientes por pessoas que não amam a profissão.

Não me leve a mal, mas esta CP é CAPCIOSA e só vem tentar dar mais lucros as Cias Aéreas, sem preservar segurança e respeito a passageiros com necessidades diferenciadas.

Esperando que o NOSSO SEGMENTO SEJA OUVIDO E QUE TUDO ISSO SEJA MELHOR REDISCUTIDO.

Colocando-me à vossa disposição

Atenciosamente
Claudia M Maximino

FONTE http://www.talidomida.org.br/detalhe_noticia.asp?id=360

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*