Aliados por uma causa
Get Adobe Flash player

Ministério atualiza regras para fornecimento de talidomida pelo SUS

Revisão vale para doenças decorrentes do transplante de medula óssea.
Normas são ‘manual de conduta’ para hospitais e médicos, diz ministério.

O Ministério da Saúde publicou uma portaria nesta sexta-feira (22), no Diário Oficial da União, atualizando as normas do para uso do medicamento talidomida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A revisão vale para o caso de aplicação do remédio para dois distúrbios que podem ocorrer com quem passou por transplante de medula óssea – o mieloma múltiplo e a Doença Enxerto Contra o Hospedeiro.

O protocolo com as regras não era atualizado desde 2002, segundo o Ministério da Saúde, e agora segue recomendações feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2011.

Pelas novas normas, o remédio pode ser prescrito para mulheres em idade fértil, após avaliação médica que garanta que não haja gravidez, a partir de agora. Também é necessário comprovar que a mulher utiliza dois métodos anticoncepcionais (pílula e camisinha, por exemplo).

O protocolo é como um “manual de conduta” para hospitais e médicos credenciados pelo SUS, afirma o ministério.

A talidomida, remédio de controle especial, só pode ser indicada para dois tipos de doenças além daquelas complicações que decorrem do transplante de medula óssea: hanseníase e lúpus. As regras para estas duas doenças, no entanto, já foram atualizadas, diz o ministério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*